Os Bromberg na chácara da Pedra Redonda

Primeira geração da família Bromberg/1900

A Porto Alegre do fim do século XIX ostentava várias casas comerciais cujos proprietários eram todos alemães. Porém, o caso de maior sucesso foi, sem dúvida, o da empresa de Martin Bromberg, que importava, de Londres, Hamburgo e Nova Iorque, ferro e máquinas para indústrias gaúchas. O nome Bromberg esteve vinculado também à construção de ferrovias e de pontes férreas, bem como à importação de locomotivas. Com filiais em Porto Alegre, Rio de Janeiro, Buenos Aires e Hamburgo, a empresa importava até automóveis, entre eles, o “fusca” alemão. Com uma diversificação do capital comercial, a Bromberg, por meio de financiamentos, esteve presente na formação das primeiras indústrias no estado. Desta forma, os negócios bem sucedidos irradiaram-se pelo Brasil e por outros países da América do Sul, influenciando diretamente no desenvolvimento da economia do Rio Grande do Sul e na ascensão de grupos que tinham estreita ligação com a Alemanha. A aquisição de terras no balneário da Pedra Redonda se insere no universo de teuto-brasileiros na Zona Sul de Porto Alegre.  Mais

Anúncios