Na primeira metade do século passado, o balneário da Pedra Redonda, situado na Zona Sul da cidade, embora distante do centro, atraía o porto-alegrense devido às suas praias de águas limpas.  Em torno de 1898, Joahnn Pabst, um imigrante de origem alemã, seguindo a mesma tradição de outros teutos recém-chegados ao Brasil, adquiriu terras na região. A ideia era um lugar para descanso e lazer às margens do Guaíba. Passados alguns anos, Joahnn construiu sua casa de veraneio, transformando o local na chácara da Família Pabst.

Joahnn e Lina Pabst Acervo de Flávio Pabst

Joahnn e Lina Pabst
Acervo de Flávio Pabst

“A escolha do Brasil como país de destino, conforme relato de João Gastão Mostardeiro Pabst, se deu por influência de um amigo de Johann: o Comandante Booth, da marinha mercante, o qual não só conhecia Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, de viagens anteriores, como tinha propriedade próxima ao Rio Guaíba.  Este seu amigo, inclusive, serviu de intermediário na compra antecipada que Johann fez, ainda na Alemanha, do terreno na Pedra Redonda, bairro da Tristeza, onde moraria ao chegar. Era um terreno grande, às margens do rio Guaíba, distante do centro da cidade, mas que pelas suas praias era já um local de veraneio bem frequentado. Casa e terreno ficaram, posteriormente, conhecidos como a Chácara Pabst” (Flávio Pabst, 2014).  Mais

Anúncios