Edgar Booth, descendente de ingleses, foi o primeiro a apresentar as regras do “foot-ball” aos “guris” do longínquo arrabalde da Tristeza naqueles idos de 1900. Filho do Comandante Charles Edward Booth, egresso da Marinha Mercante Inglesa e de Jenny Adelina Booth, também imigrante, Edgar e sua família residiam em uma chácara a beira do Guaíba – região de veraneio de famílias de boa situação financeira.

Família Booth (Edgar ao centro)/Chácara na Tristeza/1900

Naquela época, era prática da rapaziada apenas os esportes náuticos, daí a preferência pelo rio/lago. Acontece que Edgar, já conhecedor do novo esporte, herança de seus antepassados na Inglaterra, foi, aos poucos mostrando aos moradores da Zona Sul, um jogo que era a novidade naquela época: o futebol. Assim, Edgar costumava reunir os amigos e conhecidos para participarem de um “joguinho de bola” na Praça da Tristeza, hoje Comendador Souza Gomes. Desde o final do século dezenove, o local era marcado por sociabilidades, pois além de ser a chegada do trem que transportava passageiros e mercadorias do centro de Porto Alegre até a Tristeza, também servia para encontros entre moradores e veranistas.

Praça da Tristeza/1900
Acervo Museu de Porto Alegre

 

Com o tempo, Booth foi adquirindo experiência e daí para atuar em um clube, foi um passo. Em pesquisas no Memorial Museu do Grêmio Hermínio Bittencourt descobriu-se que ele iniciou carreira de jogador de futebol profissional no Grêmio, onde jogou de 1909 a 1913, na posição de atacante. Em 18 de julho de 1909, no histórico primeiro Grenal, já atuando como titular, marcou cinco gols na partida a qual terminou em 10 x 0 para o Grêmio. No segundo jogo,  Booth também se destacou: foi o grande centroavante e capitão do time. Além de comandar o Grêmio dentro das quatro linhas, era também o técnico fora delas, ou seja, era a autoridade máxima: o comandante – uma herança genuinamente inglesa.

Time do Grêmio/1909-Booth penúltimo sentado a direita
Acervo Museu do Grêmio

O fato é que Edgar Booth era um especialista com a bola no pé, quer driblando, quer criando jogadas geniais. Era fácil para ele chegar até a porta do gol, marcando sempre para o Grêmio. Muitas vitórias acompanharam a trajetória desse craque. Por isso, a história do Grêmio Futebol Porto Alegrense está ligada a desse personagem, que não só abriu o placar do primeiro Grenal, mas também teve o mérito de ser o primeiro goleador da história desse clássico que monopoliza emoções e rivalidades entre os gaúchos até os dias de hoje.

Alice e os dois filhos.
Acervo da família

Após abandonar a carreira futebolística, Edgar casou-se com a miss Porto Alegre, Alice Hoffmann, tendo com ela, dois filhos: Robert (Bobby) Booth e Ronald Booth. 

Na Companhia de Navegação das Lagoas, Edgar trabalhou como gerente nos escritórios situados no centro de Porto Alegre.

Edgar no escritório da Cia de Navegação. Acervo Delphos/PUCRS

 

 

Jogadores em 1909: GRÊMIO: Callfez, Deppermann e Becker; Carls, Black e Mostardeiro; Brochado, Moreira, Booth, Schroeder e Grunhewald. INTERNACIONAL: Poppe II, Portela e Simoni; Vinholes, Pires e Weternich; Poppe I, Horacio, Cesar, Mendonça e Carvalho.

Anúncios